Valverde, América Central

Golpes de estado, florestas tropicais, guerrilhas comunistas: a estereotípica América Latina de Hollywood está, em todo o seu esplendor, neste pequeno país que Schwarzenegger já salvou um par de vezes.

É um país de gente humilde, pacífica, feliz na sua pobre condição. Tem praias magníficas, florestas frondosas e tudo mais para dar certo como grande destino turístico. Contudo, a instabilidade política é o prato do dia desta pequena nação a 11 horas de voo da Califórnia.

Refira-se, a esse propósito, que é uma viagem invulgarmente lenta, já que Valverde fica na América Central, junto à Guatemala, o que não deveria levar mais de cinco horas. Acrescente-se que o voo é assegurado pela Western Airlines, companhia que também não será das mais recomendáveis em matéria de atenção ao cliente – ficou famoso o caso do passageiro que foi morto a bordo sem que ninguém desse conta, tendo o seu assassino conseguido fugir durante a descolagem.

O pequeno aeroporto fica na capital e dá, mal se chega, um retrato simplificado do país: vendedores de rua, bancas de comida fumegante, militares que se passeiam vagarosamente de metralhadora na mão, carros antigos a lembrar a frota automóvel cubana. Junto à zona de chegadas, está disponível serviço de vallet parking para bandidos.

Tem praias magníficas, florestas frondosas e tudo mais para dar certo como grande destino turístico. Contudo, a instabilidade política é o prato do dia desta pequena nação a 11 horas de voo da Califórnia.

Na longa história de golpes de estado e interferência política de grandes potências mundiais em Valverde, destacam-se o regime do presidente Velázquez, figura de proa de um regime-fantoche estabelecido em 1985 por forças norte-americanas – lideradas pelo coronel John Matrix –, e a reação soviética que não se fez tardar, traduzida no apoio às guerrilhas de ideologia comunista. Guerrilhas essas esmagadas um par de anos mais tarde por um super-soldado americano em modo solitário, o musculado Alan “Dutch” Schaeffer.

O pequeno aeroporto fica na capital e dá, mal se chega, um perfeito retrato estereotípico de Valverde.

Além de salvar o dia, nesta sua incursão pela densa e inexplorada selva amazónica valverdiana Dutch descobriu também os tratamentos com uma lama termoisolante que não só é ótima para a pele como também protege dos ataques de extraterrestres com instintos predatórios – coisa que também tende a dar à costa em Valverde. Pobre gente, não há nada que não lhes aconteça. Valham-lhes os americanos…


Nos anos 1980, o país fictício Valverde (também grafado Val Verde) foi cenário recorrente em pelo menos dois filmes de acção, Commando, de Mark L. Lester (1985), e Predador, de John McTiernan (1987), ambos com Arnold Schwarzenegger no papel do soldado americano que salva o dia por conta própria. Em 1990, McTiernan regressa brevemente a Valverde, com Assalto ao aeroporto, onde o lugar de herói solitário é entregue a Bruce Willis.


Artigo originalmente publicado na edição de julho de 2015 da revista Volta ao Mundo e actualizado em Novembro de 2019.
[as imagens originais são propriedade da 20th Century Fox / o Grémio Geográphico não detém quaisquer direitos / bandeira retirada do website Flags of the World]



Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s